Ivane Domingues

14375374_1075411925847269_43778281_o.jpg Ivane Domingues, 24 anos, natural de Versailles, licenciou-se em Ciência Política e Relações Internacionais pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa. A par da licenciatura desempenhou diversas funções em associações académicas, tais como AEFCSH, CPRI e NOVA Debate. Beneficiou do programa Erasmus em Lyon e fez voluntariado em várias associações, incluindo Refood, ADAS e “O nosso KM2.” Após a licenciatura, ingressou no mestrado de Guerra de Informação na Academia Militar,  estagiou na Global Risk Awareness, empresa no sector de recolha de informações no ciberespaço, e estagiou no Consulado de Portugal em Genebra, onde presta neste momento apoio consular à comunidade portuguesa.

Participou nas atividades da NOVA Debate desde a sua fundação até 2016. Presidiu à ND no ano lectivo de 2014/15 e lá promoveu debates, conferências, mesas redondas, formações e torneios, marcando também presença em múltiplos torneios nacionais como debater, membro da organização e júri.

 

Testemunho:
“No início do ano lectivo de 2011 um aluno da Faculdade de Economia dirigiu-se à AE da FCSH para pedir ajuda na divulgação de um recém-criado clube de debates. Por coincidência, fui eu que tive a oportunidade de o acolher. Abracei de imediato o projecto e contribuí para o seu desenvolvimento durante 5 anos.

O debate permitiu-me melhorar a capacidade de elaborar, estruturar e transmitir ideias a qualquer tipo de audiência. Ser capaz de transmitir uma ideia no menor tempo e o mais claramente possível é uma vantagem, porventura intangível, que se manifesta em todas as ocasiões em que te expressas, seja por que meio for. Também a reflexão de temas, por vezes abstractos, absurdos ou aparentemente inócuos, permitiu desenvolver uma percepção diferente das questões que absorvem o nosso dia-a-dia.

No decurso das centenas, talvez milhares, de debates que tive com centenas de pessoas, de Norte a Sul do país, abordei os mais diversos temas assumindo posições afectas ou avessas às minhas ideias, o que me permitiu encarar questões numa perspectiva completamente distinta àquela que quotidianamente assumiria e desenvolver uma tolerância e compreensão acrescidas às visões díspares que definem a actual sociedade.

Além da dimensão pessoal, na Nova Debate tive também a oportunidade de organizar vários eventos (debates, conferências, convívios e torneios) à escala local, para os alunos da Universidade, nacional e mesmo internacional, desenvolvendo diversas competências de comunicação e organização.

Tenho um enorme orgulho em ter feito parte da Nova Debate, foi sem dúvida a experiência mais enriquecedora  que tive durante a Universidade.”

João Pereira dos Santos

joao pereira dos santos

João Pereira dos Santos é mestre em Economia pela Nova SBE e está, neste momento, a estudar e a fazer investigação no Kiel Institute for the World Economy, onde tem aulas com professores de Harvard, Stanford e Oxford, entre outros. João estudou ainda na London School of Economics e na Universitat Pompeu Fabra e trabalhou como assistente de investigação em vários projetos relacionados com História Económica (Prof. Maria Eugénia Mata), Economia Pública (Prof. Pedro Pita Barros) e Economia Política (Prof. José Tavares e Prof. Susana Peralta). Os seus interesses de investigação estendem-se ainda à Macroeconomia Política Internacional e à Economia Comportamental. Apresentou os seus trabalhos em importantes conferências como a European Public Choice Meeting, a International Panel Data Conference e no Congresso Mundial da International Health Economics Association.

João trabalhou ainda na Embaixada do Equador, completou um Seminário em Estudos Europeus no Parlamento Europeu e foi co-fundador e primeiro Presidente do Nova Debate (na altura, Nova Debate Club). É, neste momento, Presidente do Nova Economics Club.


Testemunho:

“No outono de 2011, cinco alunos da Nova SBE juntaram-se para responder às duas principais críticas que tinham em relação à faculdade: 1) a ausência de debate, principalmente de assuntos contemporâneos; 2) a falta de interdisciplinaridade no currículo da licenciatura em economia. Desde muito cedo, estes alunos tiveram a noção que queriam alargar o clube que iriam fundar a outros saberes e perspetivas. Todos eles eram muito diferentes: nas suas experiências, nas suas ideias, nos seus ideais. Eu tive a sorte de ser um desses alunos. Nunca me irei esquecer das horas que investimos a preparar o recrutamento que iríamos fazer no início do seguinte ano, das discussões que tivemos sobre todos os detalhes.

Como primeiro presidente do então Nova Debate Club eu tinha a noção de que os primeiros meses iriam ser fundamentais. Começámos em grande com uma conferência em que o auditório da reitoria da Universidade estava completamente lotado para ouvir os Professores João César das Neves, Luís Campos e Cunha e Jorge Braga de Macedo. Nos meses seguintes, conseguimos ter um debate semanal nos mais diversos registos e sobre os mais diversos temas.

Fizemos, não escondo, alguns erros. No marketing, talvez no recrutamento. Mas certamente fizemos também muitas coisas bem feitas porque o clube cresceu e muito nestes últimos anos, mesmo sem os seus cinco fundadores. Muitos parabéns a todos os que contribuíram e contribuem para o seu sucesso. É um orgulho fazer parte da história do Nova Debate.”

Gustavo Almeida

Gustavo AlmeidaGustavo Almeida, 25 anos, natural de Coimbra.
Em 2008 ingressou na licenciatura em Economia na Universidade Nova de Lisboa. Completou o mestrado na mesma universidade, com um semestre de Erasmus na Universidade de Tilburg, Holanda. Em paralelo com os estudos universitários participou em vários projectos, nomeadamente na criação do Nova Debate. Aqui debateu regularmente, fez parte da Direção e participou em vários torneios a nível nacional. No campo profissional, estagiou na banca (BCP e Montepio), no Gabinete de Estudos do Ministério da Economia e em Consultoras.

Trabalha agora em Paris no departamento de Inspeção Geral do segundo maior banco francês e sexto maior da Zona Euro, o Société Générale.

Testemunho:
“Através do Nova Debate desenvolvi competências-chave, a começar pela capacidade em estruturar ideias em discurso, de forma a que esse discurso seja lógico, persuasivo e bem fundamentado (através de exemplos concretos). É um exercício que não é fácil e que só se desenvolve praticando, praticando, praticando. Debate após debate, notei uma maior capacidade a organizar as ideias na minha cabeça, a dar uma lógica aos meus discursos, enquadrando-os com exemplos pertinentes; em suma, comunicar de forma mais clara.

Há uma outra capacidade, não menos importante, que o Nova Debate me conferiu: a de formar uma opinião. Foi através da preparação para os debates que li e me informei sobre os mais diversos assuntos da sociedade. Foi através do confronto de ideias que compreendi as posições a favor e contra e as inúmeras e possíveis visões em torno dos assuntos. Foi após vários debates que senti as ideias mais claras na minha cabeça e me senti em capacidade de formar opiniões.

Debater é, no fundo, um grande exercício prático de como organizar ideias, comunicá-las, pô-las em causa, perceber diferentes pontos de vista e tirar conclusões. Utilizo estas competências todos os dias na minha vida profissional.”